1991. O ano que não terminou

Tudo começou um pouco antes de 91 e em alguns anos foram mais de 300 mil brasileiro que se mudaram para o Japão. A história dos documentários sobre migrações começou em 1991. Sai da faculdade pensando nisso. Sem grana financiei uma passagem pra lá e sai sem olhar para trás. Seis meses numa fábrica numa jornada de 10,5 horas alternada de dia e de noite 6 dias por semana. No fim de 6 meses com a passagem paga, com apenas duas palavras trocadas com o japonês da minha frente na linha de montagem, quase pirado, comprei uma câmera. Comecei a gravar num misto de meta e terapia. Conciliar o desejo e o trabalho foi impossível. Quase todas as imagens desse período se resumem ao trabalho, alojamento e filas para telefonar para o Brasil. No final de semana fazíamos pequeno passeios nada muito interessante. Essa não era apenas a rotina dos brasileiro. É a rotina de todos os trabalhadores das fábricas. Nosso chefe estava lá há 20 anos e o cara da minha frente há 18. Este nunca tinha mudado de função.

Quase 2 anos depois voltei para o Brasil com um material gravado numa câmera S-VHS. Nada aproveitável mas este foi o início.

Anúncios

Sobre Helio Ishii

Helio Ishii - Diretor, roteirista, produtor e editor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: